Buscar

Provérbios 29 - A sabedoria instrui contra a rebeldia

29:1 Tarde demais para se arrepender

“O Homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz, de repente será destruído sem que haja remédio.


O perdão ocorre para os que se quebrantam, da mesma forma que não já cura para quem não se arrepende. Recusar-se a ouvir a voz daquele que nos exorta com amor é entrar por um caminho sem voltam.


29:2 O perigo de um mau governante

“Quando os justos se engrandecem, o povo se alegra, mas quando o ímpio domina, o povo geme.


A justiça e a perversidade estão em lados opostos, a ascensão ao poder de um é a derrota do outro. A justiça governa para o bem de todos, já a perversidade governa somente para satisfazer seus interesses ocultos. Um governante mau é um flagelo para o povo, mas um governante justo é uma bênção para a nação.


29:3 Sabedoria e devassidão

“O homem que ama a sabedoria alegra a seu pai, mas o companheiro de prostitutas desperdiça os bens.


Sabedoria e devassidão não andam de mãos dadas. Amar a sabedoria significa apartar-se do caminho da prostituição. O filho que ama a sabedoria será a alegria de seu pai, a sabedoria traz alegria à família, mas a prostituição traz destruição.


29:4 O governante justo

“O rei com juízo sustém a terra, mas o amigo de peitas a transtorna.


O governante justo é aquele que realmente promove ordem e progresso, fazendo uma gestão honesta e usando com sabedoria os recursos e o poder que possui. O governante justo não pensa somente em uma parcela da sociedade, ou em seus apoiadores, ele pensa no topo.


29:5 A armadilha do elogio

“O homem que lisonjeia o seu próximo arma uma rede aos seus passos.


Vivemos em um mundo em que as pessoas não falam o que pensam ou sentem. Elogios e palavras de lisonja são usados para conquistar algo. Esteja sempre atendo ao que te falam, por muitas vezes a lisonja dos lábios esconde a falsidade do coração.


29:6 A liberdade do justo

“Na transgressão do homem mau há laço, mas o justo jubila e se alegra.


O justo pode cantar e alegrar-se, esse é um destaque a liberdade do justo que contrasta com o estado do homem mau, esse caiu em uma armadilha. O pecado aprisiona, ele produz abatimento da alma, já a justiça regozija e produz liberdade.


29:7 O cuidado com os pobres

“O justo se informa da causa dos pobres, mas o ímpio nem sequer toma conhecimento.


Mais uma vez o justo e o perverso são contrastados. O justo é aquele que usa seu tempo e seus recursos para repartir com quem nada ou pouco tem, já o perverso só estende a mão para tomar o que é do outro. O justo é aquele que consegue olhar com amor para o desfavorecido.


29:8 O escarnecedor

“Os homens escarnecedores alvoroçam a cidade, mas os sábios desviam a ira.


A palavra “escarnecedores” se refere à arrogância espiritual mais do que à social. Os escarnecedores são aqueles que espalham a discórdia por toda a cidade, enquanto a influência dos sábios livra o povo de grandes tragédias.


29:9 Discutir com um insensato

“O homem sábio que pleiteia com o tolo, quer se zangue, quer se ria, não terá descanso.


Sabedoria e insensatez estão sempre em lados opostos. Não existe diálogo entra elas, todas as suas condutas se diferem uma da outra. Discutir com o insensato é perder tempo, é sábio não perdermos nossa paz com o insensato nem com os zombadores.


29:10 Perseguição sem causa

“Os homens sanguinários odeiam ao sincero, mas os justos procuram o seu bem.


Aqui podemos ver um comentário perturbador acerca da maldade. Um homem integro é uma representação permanente que não pode ser tolerada, suma pessoa honesta atrapalha os planos corruptos. Sendo assim os sanguinários procuram tirar a vida dos retos.


29:11 Domínio próprio

“O tolo revela todo o seu pensamento, mas o sábio o guarda até o fim.


O sábio sabe lidar com os seus sentimentos, ele é Senhor de suas emoções e não um escravo delas. Enquanto o ímpio é constantemente explosivo e temperamental, não controla o que sente e fere com sua ira todos os que estão a sua volta. Quando o Espírito Santo habita em nós aprendemos a ter o controle dos nossos sentimentos.


29:12-21 Governo e controle

“O governador que dá atenção às palavras mentirosas, achará que todos os seus servos são ímpios. O pobre e o usurário se encontram; o Senhor ilumina os olhos de ambos. O rei que julga os pobres conforme a verdade firmará o seu trono para sempre. A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe. Quando os ímpios se multiplicam, multiplicam-se as transgressões, mas os justos verão a sua queda. Castiga o teu filho, e te dará descanso; e dará delícias à tua alma. Não havendo profecia, o povo perece; porém o que guarda a lei, esse é bem-aventurado. O servo não se emendará com palavras, porque, ainda que entenda, todavia não atenderá. Tens visto um homem precipitado no falar? Maior esperança há para um tolo do que para ele. Quando alguém cria o seu servo com mimos desde a meninice, por fim ele tornar-se-á seu filho.”


Aqui vemos um conjunto de ditados que tratam basicamente sobre o governo e do controle. Provérbios aconselha que no contexto familiar as pessoas sejam tratadas com firmeza, porém sempre em sabedoria, com paz e prazer. Do contrário no final tudo o que encontraremos será tristeza. Já no contexto do governo estatal, fica claro que o Estado não precisa somente de uma liderança justa, mas de uma orientação inspirada.


29:22-26 Sentimentos maus

“O homem irascível levanta contendas; e o furioso multiplica as transgressões. A soberba do homem o abaterá, mas a honra sustentará o humilde de espírito. O que tem parte com o ladrão odeia a sua própria alma; ouve maldições, e não o denúncia. O temor do homem armará laços, mas o que confia no Senhor será posto em alto retiro. Muitos buscam o favor do poderoso, mas o juízo de cada um vem do Senhor.”


Essa coletânea de provérbios conclui algumas verdades conhecidas acerca da ira, do orgulho, da desonestidade e do temor do homem por pare de indivíduos e pessoas à sua volta e a benção contrastante de quem confia no Senhor. Nenhum home vive isolado, sua ira provoca brigas, seu orgulho ou sua humildade terão consequências claras na sua vida, já a lealdade mal dirigida a um amigo desonesto levará o homem a ter problemas com a lei.


29:27 Farinha do mesmo saco

“Abominação é, para os justos, o homem iníquo; mas abominação é, para o iníquo, o de retos caminhos.


O iníquo é aquele que tem seu caráter corrompido, suas palavras poluídas e suas ações são perversas. O justo não aprova sua conduta e não enaltece suas palavras e nem defende suas obras. O ímpio pensa diferente do justo, fala diferente, tem valores diferentes e caminha por estradas diferentes. Pense como está sua conduta, se ela condiz mais com os justos ou se está parecida com os ímpios.


Referências:

BRUCE, E. Comentário Bíblico NVI: Antigo e Novo Testamento. São Paulo: Editora Vida, 2008.

LOPES, Hernandes Dias. Provérbios: manual de sabedoria para a vida. São Paulo: Hagnos, 2016.

PFEIFFER, Charles. Comentário Bíblico Moody: Volume 1. São Paulo: Editora Batista Regular,2019.

KIDNER, Derek. Provérbios: introdução e comentário. São Paulo: Mundo Cristão, 1980.

WIERSBE, Warren. Comentário Bíblico Expositivo: Antigo Testamento: Volume III, Poéticos. São Paulo: Geográfica editora, 2006.

© VEM E VAMOS 
created by Danielli Cadore
 

  • Preto Ícone Spotify

DANIELLI CADORE

Obrigada por estar aqui!
me acompanhe no instagram
  • Instagram