JUSTO, SERÁ?

"Os justos levam em conta os direitos dos pobres, mas os ímpios nem se importam com isso" Provérbios 29:7


Quantos ímpios disfarçados de justos existem no nosso meio? É fácil com os lábios proclamar “Senhor, Senhor”, o difícil é estender a mão e repartir o pão. Muitos se consideram justos, somente buscam a justiça que lhes é conveniente. Olham para a causa do pobre, dos órfãos e das viúvas com desdém. Para muitos a justiça que importa é ter sua opinião aplaudida e valorizada. Muitos se vestem de finos trajes, se dizem seguidores de Cristo, mas somente vivem com base no que lhes é conveniente. É fácil crer que jamais nos faltará o que comer e vestir, o difícil é por em prática a orientação que nos chama a repartir o pão com o necessitado.

Não são poucos os que gostariam de tirar versículos como Provérbios 29:7 da Bíblia, não são poucos os que em altos pulmões defendem sua fé em Jesus, mas que se comportam como ímpios que não se importam com o direito dos pobres. Seguir a Jesus é seguir os passos de Jesus, enquanto esteve nessa terra o Senhor olhou para os necessitados, curou, alimentou, sentou-se ao lado deles. O Senhor repartiu o pão, alimentou uma multidão com dois pães e dois peixes, ninguém sentiu fome. Quando repartimos multiplicamos, quando repartimos todos nos saciamos. Quando olhamos para o direito dos que tremem de frio a noite, que se cobrem com jornais e andam descalço, aprendemos que amar ao próximo vai muito além de palavras. Amar ao próximo é uma ação que nos leva a nos interessar por aqueles que nada tem para nos oferecer. Amar é não buscar a própria justiça, mas nos movermos em busca do que o nosso Senhor nos ensina que é justo. E como diz o provérbio: O justo se interessa pelo direito dos pobres, mas o ímpio não se importa com isso.