27 - Correndo atrás do vento


"Não me neguei nada que os meus olhos desejaram; não me recusei a dar prazer algum ao meu coração (...) Contudo, quando avaliei tudo o que as minhas mãos haviam feito e o trabalho que eu tanto me esforçara para realizar, percebi que tudo foi inútil, foi correr atrás do vento; não há qualquer proveito no que se faz debaixo do sol." Eclesiastes 2:10-11


"Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por cuja causa perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar a Cristo e ser encontrado nele, não tendo a minha própria justiça que procede da lei, mas a que vem mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus e se baseia na fé." Filipenses 3:8,9


Quando olhamos para os textos de hoje, encontramos dois homens que viveram em épocas diferentes, mas que chegaram a uma mesma conclusão: tudo é vaidade. Salomão e Paulo, mesmo tendo vivências diferentes, entenderam que tudo aquilo que eles corriam atrás, como a fama, diversão, bens materiais, cumprimento perfeito da lei e outros, não os levariam a lugar nenhum e um dia viraria pó.


A vaidade que se torna pecado é aquela fundamentada na necessidade de reconhecimento, aprovação e admiração da própria aparência, qualidades intelectuais, estilo de vida, bens materiais, conquistas e muitos outros. Quando sentimos orgulho de tudo o que temos e desejamos que as pessoas nos admirem, passamos a agir de modo que isso se torne um ídolo em nossas vidas. Nossa mente passa a girar em torno de postar fotos, ganhar likes e seguidores, “hitar” com comentários, sermos aplaudidos por dizer algo inteligente, prestigiados por conseguir um emprego melhor, uma casa melhor e um carro melhor e, por fim, uma vida melhor.


Podemos correr atrás de prestígio e aprovação o quanto quisermos, mas nada disso permanecerá. Tudo aquilo que não é construído em Deus e para a Glória de Deus, um dia se tornará pó. Se temos o que temos, é porque o Senhor concedeu a nós, em sua infinita bondade e misericórdia, e para que usemos para a Glória dEle. Nosso propósito principal nessa Terra é sermos testemunhas de Jesus, mostrar para as pessoas que há um Deus que as ama e que entregou seu Filho para que sejam salvas. O verdadeiro propósito das nossas vidas é gerar algo para a eternidade, não inflar o nosso ego e nos acharmos “bons demais”.

Paulo entendeu que toda sua vida como fariseu (irrepreensível diante da lei, verdadeiro hebreu, perseguidor da igreja, motivo de orgulho para muitos) de nada valia diante do conhecimento do Cristo. Ele abriu mão de tudo para servir a Deus e buscar a única coisa que jamais desaparecerá: a vida eterna.


É muito fácil nos distrairmos e focarmos os olhos no lugar errado, no entanto, sempre podemos começar de novo. Que hoje possamos nos arrepender do pecado da vaidade e entender que não fomos criadas para buscar aprovação e admiração de pessoas, mas para buscar a aprovação de Deus e refletir a sua glória. Não há nada de errado em ficar feliz com suas conquistas ou desejar coisas melhores, mas esse não pode ser o nosso foco principal. Quando colocamos o Senhor no centro de nossas vidas, todas as outras coisas nos serão acrescentadas. Creia nisso!


Por Maria Eduarda Batistetti