Buscar

04 - Para Ele são todas as coisas

“Pois dele, por ele e para ele são todas as coisas. A ele seja a glória para sempre! Amém” (Romanos 11:36).


O Criador nos fez para vivermos uma vida de plenitude com Ele. Com a entrada do pecado na história da humanidade, (Gênesis 3), tanto o ser humano como as circunstâncias ao redor dele foram afetadas. Inclusive a nossa visão de mundo, ou seja, a compreensão do contexto que nos cerca e a maneira como nos comportamos diante dele.


Um outro fator importante a considerar, prejudicial ao nosso modo de viver enquanto cristãs, é a visão de mundo dualista. Uma herança da filosofia grega que influenciou também a igreja ocidental e se perdura até hoje na nossa maneira de pensar, separando nossa vida em duas categorias distintas: Sagrado x Secular.


No Sagrado temos a lista das únicas coisas que acreditamos ter valor espiritual como a oração, o jejum, a leitura bíblica, atividades ministeriais e outras desse tipo. Já no Secular, ficam as coisas que acreditamos serem mundanas, as que fazemos nos horários em que estamos fora do ambiente da igreja. Coisas que aparentemente nada tem a ver com a nossa espiritualidade e vida em glorificação a Deus. Por exemplo, nosso trabalho, faculdade, escola, terefas do lar, amizades, cuidado dos filhos, e assim por diante.


Mas vejamos o que Paulo escreve em sua carta aos Coríntios:“Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus” (1ª Coríntios 10:31).


Paulo descreve coisas da nossa vida comum e diz que mesmo elas devem glorificar a Deus. A vida cristã não é fragmentada. Há uma interação entre a fé e a vida comum. Pensemos a partir da narrativa bíblica Criação/Queda/Redenção. Na Criação todas as coisas foram designadas por Deus, na Queda tudo foi profundamente danificado pelo pecado, mas na Redenção de Cristo temos a nossa visão renovada ao sentido original de para o que devemos viver e fazer todas as coisas: para glorificar a Deus.


Por isso precisamos parar de pensar e enxergar nossas vidas de maneira dividida, julgando o que tem ou não a ver com nossa devoção a Jesus, e sim submeter todas as áreas que fazem parte de nós à soberania de Deus. Nossa vida piedosa, nossos ministérios, nosso trabalho, nossos estudos, nossa família, nossas interações sociais, nossa cidadania, nossa saúde física/mental... tudo é por causa dEle, por Ele e para Ele!


Tudo se torna parte da minha vocação (de anunciar Jesus aos povos) quando Cristo está no centro da minha vida. E nessa responsabilidade, todas as tarefas importam, desde as pequenas até aquelas que consideramos insignificantes. Gosto muito de uma frase que diz: “No reino subversivo de Cristo, entendemos que até dar copos de água em nome de Jesus, é um serviço a Ele”. *


Talvez, nessa altura do texto, você esteja lembrando da sua vida e pensando que não vai conseguir, pois há muitas áreas para ajustar. Calma, você não está só! Eu também, ainda estou na busca pelo alinhamento. Ou quem sabe você tenha chegado até aqui e muito empolgada esteja pensando: “É isso aí, vou mudar o mundo”! Te aconselho a ir com calma também.


Ao finalizar esse texto e sair lá fora, a realidade que vai encontrar é muito dura e desanimadora, mas lembre-se de uma coisa, mais importante aqui não é a pressa em terminar, é a constância em perseverar. Em qual área você tem falhado, mas pode no dia de hoje escolher praticar o alinhamento à soberania de Deus?


Pense, apresente em oração pedindo por sabedoria, e o Espírito Ajudador te aconselhará.


Por Jeane Chaves Ramos

*FURMAN, Glória. A Esposa do Pastor: fortalecida pela graça para uma vida de amor. (São José dos Campos, SP: Fiel, 2016), 137.


© VEM E VAMOS 
created by Danielli Cadore
 

  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone Spotify

DANIELLI CADORE

Obrigada por estar aqui!
me acompanhe no instagram
  • Instagram