top of page

Mateus 5.3-12 – As bem-aventuranças

5:3 Os pobres em espírito

"Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos céus.”


As palavras iniciais de Jesus no sermão não são uma proclamação de maldição sobre os ímpios, mas sim de bênção sobre o povo de Deus. “Bem-aventurado”, muito mais do que apenas um estado de felicidade, tem a ver com o bem-estar espiritual, contando com a aprovação de Deus e com a comunhão com Jesus.


A primeira das nove bem-aventuranças se refere aos pobres de espírito. Apesar de, muito provavelmente, existirem pessoas pobres dentre a multidão que ouvia Jesus, não é exatamente sobre riqueza material que Ele fala aqui. O que Jesus está dizendo é que, independentemente de nossas posses materiais, devemos ser pobres de espírito, o que significa reconhecer o nosso estado decaído aqui na terra. Somos pecadores, necessitados da graça de Deus.


Somente reconhecendo quem nós somos, e como consequência, quem o Senhor é, podemos receber do Senhor aquilo que Ele pode nos dar, encontrando salvação em Jesus. Aquele que se acha rico espiritualmente, pensa que não necessita de nada, por isso, bem-aventurados são aqueles que reconhecem a sua pobreza espiritual, e encontram no Senhor a sua riqueza.


5:4 Os que choram

"Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados.”


Apesar de o Senhor ser aquele que nos consola em nossas dores e sofrimentos, quando Jesus se refere aqui aos que choram, ele não está se referindo ao choro devido às dificuldades terrenas. Dando continuidade ao versículo anterior, Jesus está falando sobre aqueles que choram ao reconhecer a sua pecaminosidade e insuficiência diante de Deus.


Bem-aventurados os que choram ao perceber o problema do seu pecado e como o seu pecado os impede de viver para glorificar a Deus. Bem-aventurados os que reconhecem o seu pecado, se envergonham e se arrependem dele, chorando diante de Deus. Bem-aventurados os que buscam o Senhor em arrependimento.



5:5 Os mansos

"Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra.”


A mansidão apresentada aqui é a mansidão que segue o exemplo de Jesus. Em contraste a um mundo de pessoas iradas, revoltadas e rápidas em cometer iniquidades, os seguidores de Jesus são chamados a imitar o seu exemplo de mansidão. Apenas conseguiremos ser mansos aqui na terra quando confiarmos no Senhor.


Quando confiamos em um Deus que é santo, reto e bom, podemos descansar, e quando descansamos podemos viver uma vida de mansidão. Não mais sendo aquele que dá o primeiro tapa, mas aquele que oferece a outra face. Ponderando cada decisão com a mansidão que aprendemos com Jesus.


5:6 Os que têm fome e sede de justiça

"Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos.”


Aqueles que têm fome e sede de justiça serão saciados em Deus. Quem faz parte do Reino de Deus se preocupa com a sua justiça, e tem um apetite intenso por ser renovado à semelhança da justiça de Deus e em ver a justiça de Deus ser estabelecida.


A fome de justiça não é saciada através da vingança humana, mas através da confiança em um Deus que é justo. Devemos confiar na justiça de Deus, deixando de confiar na nossa própria justiça, continuamente nos arrependendo e descansando nos justos juízos de Deus.


5:7 Os misericordiosos

"Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia.”


Aqueles que receberam a misericórdia de Deus, tratarão aos outros com misericórdia. Apenas quem recebe misericórdia pode oferecer misericórdia. Bem-aventurados são os misericordiosos pois, em primeiro lugar, receberam misericórdia de seu Deus.


Nós, que reconhecemos a misericórdia imerecida recebida da parte de Deus, somos impulsionados a demonstrar essa misericórdia para com os outros, mesmo com aqueles que não merecem. Os verdadeiros seguidores de Jesus perdoam aqueles que os ofendem pois reconhecem que muito foram perdoados.


5:8 Os limpos de coração

"Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus.”


Os limpos de coração são aqueles que tiveram seu coração regenerado e purificado por Deus. Ser limpo de coração tem tanto a ver com o novo coração recebido na regeneração, quanto com a transformação de caráter que se segue na vida de quem foi regenerado.


Não é buscando sermos puros e limpos externamente que alcançaremos a limpeza em nosso interior. Apenas através de um coração purificado por Deus podemos viver demonstrando essa pureza em nossas atitudes.


5:9 Os pacificadores

"Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus.”


O mundo em que estamos inseridos evidencia diversos conflitos, que nascem da alienação em relação a Deus. Aqueles que se afastam de Deus e de sua vontade, ou que a distorcem segundo os seus próprios desejos, acabam por se envolver em conflitos.


Por isso, bem-aventurados são aqueles que, onde quer que estejam, trazem a paz de Cristo e não a contenda do inimigo. Como cristãos, somos chamados a evitar conflitos, deixando de lado os nossos próprios interesses ao buscar a vontade de Deus e a sua paz.



5:10-12 Os que sofrem perseguição

"Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus; Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós.”


Ser perseguido por causa do nome de Jesus não é nenhuma novidade, os exemplos bíblicos de homens e mulheres que foram perseguidos são diversos. A perseguição é uma evidência de se estar andando de maneira coerente com o Senhor.


Quando vivemos de acordo com a vontade e a com a justiça de Deus, devemos estar preparados para sofrer perseguições pelo nome de Deus. O texto apresenta o insulto e a difamação como exemplos de perseguição, exemplos que podem apresentar diferentes formas de acordo com o contexto em que estamos inseridos, mesmo assim, Jesus declara que aqueles que sofrem perseguição são bem-aventurados.


Nossa recompensa não está no reconhecimento das pessoas, mas sim, em obedecer às palavras de Jesus. Por isso, a perseguição não deve ser considerada motivo de choro e sim de alegria.


Conclusão


As bem-aventuranças apontam para a nossa condição diante de Deus, e nos preparam para viver de acordo com o padrão apresentado por Jesus no Sermão do Monte. Fica claro através das palavras introdutórias de Jesus que o Seu sermão não apresenta aquilo que alguém deve fazer para se tornar um participante do seu reino, mas sim, como aqueles que foram transformados por Deus e agora fazem parte do seu reino devem viver.


Autoria: Danielli Cadore

Revisão: Rafael Loureiro





BÍBLIA DE ESTUDO DA FÉ REFORMADA. Tradução de João Ferreira de Almeida – Edição Revista e Atualizada. São Paulo: Editora Fiel, 2021.

FERGUSON, Sinclair. O Sermão do Monte. São Bernardo do Campo: Editora Trinitas, 2019.

LLOYD-JONES, D. Martyn. Estudos no Sermão do Monte. São Paulo: Editora Fiel, 1984.

PFEIFFER, Charles. Comentário Bíblico Moody: Volume 2. São Paulo: Editora Batista Regular, 2019.

PINK, A. W. As Bem-aventuranças. São Paulo: O Estandarte de Cristo, 2022.

WESLEY, John. Comentário Bíblico.

WESLEY, John. O Sermão do Monte. São Paulo: Editora Vida, 2012.

WIERSBE, Warren. Comentário Bíblico Expositivo: Novo Testamento: Volume I. São Paulo: Geográfica editora, 2006.


תגובות


bottom of page