top of page

Débora – A autoridade que libertou Israel

Quem confia em Deus tem coragem para lutar nas batalhas ao lado de Deus

"Já tinham desistido os camponeses de Israel, já tinham desistido, até que eu, Débora, me levantei; levantou-se uma mãe em Israel.” Juízes 5.7


A história de Débora se passa durante o período dos juízes, mais especificamente, em um período conturbado em que os israelitas estavam sob opressão canaanita por um total de vinte anos. Débora era uma líder e profetisa que atuava como juíza em Israel naquele período, e era conhecida por sentar-se debaixo de uma tamareira e receber aqueles que a buscavam.


Baraque, o líder do exército israelita, foi convocado por Débora, que o instruiu a reunir um exército para enfrentar os cananeus, que eram liderados por Sísera. Baraque demonstrou insegurança com o plano, e pediu que Débora o acompanhasse na batalha. Diante disso, Débora concordou, mas declarou que a honra da vitória sobre Sísera não seria de Baraque, mas de uma mulher. 


Na batalha, Deus interviu a favor de Israel, e os cananeus foram derrotados. Sísera, ao fugir a pé, foi atraído por uma mulher chamada Jael, que o matou enquanto ele dormia. Após a vitória, no capítulo 5 de Juízes, vemos que Débora e Baraque entoaram um cântico de louvor, exaltando a Deus por sua intervenção em favor de Israel, e reconhecendo a coragem daqueles que enfrentaram os cananeus. Ao final do texto, vemos que após esse acontecimento, a terra teve paz por quarenta anos.


Os ensinamentos de Débora

Diferente do padrão da época

Naqueles tempos não havia rei em Israel, e o povo praticava o que era condenável pelo Senho, por isso, vivia em opressão. Débora, porém, se assentava debaixo de sua tamareira e cumpria seu papel de juíza. Essa mulher tinha um relacionamento com o Senhor e não se moldou ao padrão que seu povo vivia, mostrando assim a sua fé em Deus e no que ele poderia fazer, dando a vitória para o seu povo. Será que nós, assim como Débora, podemos dizer que estamos vivendo de forma diferente do padrão da nossa época? Ou estamos vivendo como todos vivem e ainda assim esperando ter um relacionamento com Deus? Quem foi usada por Deus foi Débora, aquela que vivia como alguém que servia ao Senhor.


Ela usava seus dons e talentos para a glória de Deus e para o bem das pessoas

Muitas pessoas se questionam como podem viver glorificando ao Senhor. Um dos princípios de glorificar a Deus está em usar nossos dons, talentos e tempo de maneira agradável a Deus, para edificação do reino e para o bem das pessoas. Débora sentava-se debaixo de sua tamareira e esperava as pessoas irem até ela para que ela pudesse decidir sobre o caso, isto é usar a sua sabedoria para o bem das pessoas e para promover justiça. Estamos usando nossos dons e talentos para o bem das pessoas e a glória de Deus? Ou estamos vivendo de maneira egoísta e pensando somente no que nos convém?


Quem tem autoridade não precisa dizer que tem

Em outros textos, já conversamos sobre como Deus usa quem Ele quer, mas aqui é importante pontuar que Ele também dá autoridade para quem Ele deseja. Quem recebe a autoridade do Senhor não precisa viver batendo no peito e proclamando que é autoridade, o que infelizmente ocorre com alguns supostos líderes nos dias de hoje. Débora tinha a autoridade que vinha de Deus e por isso era vista com autoridade, de tal maneira que ela manda chamar Baraque e ele vai até ela. Ela diz um plano e ele a escuta. Lembre-se de como as mulheres eram vistas nesse tempo, como indignas de confiança e sem valor. Mas Débora tinha tamanha autoridade que ela era reconhecida. Observe como se comportam as pessoas que exercem autoridade perto de você, se como Débora ou se como alguém que precisa constantemente afirmar ser o que não é.


Débora confiava no Deus que servia

O líder do exército temeu pela estratégia que Débora indicou, a tal ponto de dizer que só iria se ela também fosse. Débora, no entanto, conhecia o seu Deus e não temeu ir à guerra sabendo que o Deus que dá a vitória estaria ao seu lado. Quantos temores desapareceriam da nossa vida se nós vivêssemos com a mesma certeza de Débora, confiando no Senhor, mesmo quando aos olhos humanos a derrota é certa?


Reconhecer Deus na vitória

Após a vitória, Débora mostra que de fato ela era uma mulher temente a Deus. No seu cântico fica claro que ela não busca louvores para si, mas o entrega para o Senhor. Ela reconhece que não foi o seu sinal que deu a vitória, mas o poder de Deus que livrou o povo. A tentação de buscar louvores e honra para nós mesmos é algo que todos podemos enfrentar. Débora era uma mulher usada, visada e procurada, mesmo assim, vivia com a consciência da soberania e poder de Deus, reconhecendo que não foi por causa dela que a vitória aconteceu, mas pelo Senhor. Precisamos viver com essa consciência, que o que acontece de bom em nossas vidas não são vitórias nossas, mas uma dádiva do Senhor. É isso que nos fará viver de maneira humilde e justa.


A história de Débora é rica e cheia de ensinamentos. Certamente poderíamos mencionar mais pontos que aprendemos com a história dessa mulher, mas o que mais me toca dessa história é ver a coragem e humildade presentes na vida desta serva do Senhor, e como essas duas características a evidenciam como alguém usada por Deus.








Referências base:

BÍBLIA DE ESTUDO DA FÉ REFORMADA. Tradução de João Ferreira de Almeida – Edição Revista e Atualizada. São Paulo: Editora Fiel, 2021.

WALTON, John. Comentário histórico e cultural da Bíblia: Antigo Testamento. São Paulo: Vida Nova, 2018.


Comments


bottom of page