top of page

Acsa – Pare de olhar somente para o óbvio

Você precisa aprender a identificar situações

"Quando Acsa foi viver com Otoniel, ela o pressionou para que pedisse um campo ao pai dela. Assim que ela desceu do jumento, perguntou-lhe Calebe: ‘O que você quer?’‘Quero um presente’, respondeu ela; ‘Já que me deu terras no Neguebe, dê-me também fontes de água.’ Então Calebe lhe deu as fontes superiores e as inferiores.” Josué 15.18-19


A história de Acsa é uma breve história, que aparece tanto no livro de Josué quanto no livro de Juízes, e que também está relacionada com a distribuição das terras após a conquista da terra prometida. O pai de Acsa, Calebe, após conquistar uma parte da terra, prometeu sua filha em casamento ao homem que atacasse e conquistasse a cidade de Quiriate-Sefer (também conhecida como Debir) e Otoniel, sobrinho de Calebe, a conquistou.


Quando já estavam morando juntos, na terra que receberam de Calebe, Acsa pressiona Otoniel a pedir para Calebe um campo. Segundo o texto, quem faz o pedido é a própria Acsa, que pede a seu pai por fontes de água. Isso indica que a terra que eles haviam recebido de Calebe em um primeiro momento não possuía fontes, o que a tornava praticamente inutilizável. Seu pai concedeu o seu pedido e lhe deu fontes superiores e inferiores.


Os ensinamentos de Acsa

Identificar situações

A terra que Otoniel e Acsa receberam para morar era árida e estéril, sendo considerada sem utilidade. Diante disso, Acsa pediu somente o recurso natural necessário para que sua família pudesse sobreviver e prosperar. Muitas pessoas não reconhecem a importância de ponderar e identificar, e isso faz com que, ao lerem esse texto, condenem a atitude de Acsa por pedir por águas, afinal, ela já havia recebido terras. No entanto, Acsa sabia que as terras que recebeu, se não tivessem águas, não teriam serventia. Ela identificou uma situação e soube administrar o que recebeu. Nós precisamos aprender a identificar situações para além do óbvio, pois muitos problemas que colhemos acontecem por olharmos somente para o hoje e não analisarmos como será o futuro, nos tornando, assim, maus administradores do que recebemos do Senhor.


Seu marido não foi, mas ela foi

Nós não sabemos o motivo pelo qual Otoniel não foi até Calebe e pediu por águas, de maneira que fica claro ao estudarmos o texto que esse era um pedido justo e cabível, mas o que sabemos é que Acsa agiu. Ela reconheceu que seu pedido era importante para a sobrevivência de sua família e fez o que precisava ser feito. Essa ação confronta um claro pensamento que está crescendo nas igrejas (e até na sociedade), onde todas as atitudes devem partir do homem e que a mulher deve passar por essa vida em total passividade. A história de Acsa, assim como tantas outras, nos mostra o poder da nossa ação quando ela é feita de maneira justa e por motivos justos. Não pense que por ser mulher você não possui responsabilidades ou que não deve tomar iniciativa sobre nada, a Palavra não fala em nenhum momento sobre isso.


Ela recebeu o que pediu

Calebe era um homem temente ao Senhor, compassivo e justo, e é provável que sua atitude inicial não teve a intenção de complicar a situação daquela família. Porém, é fato que sem fontes de água a vida dela seria difícil. Ao escutar o pedido de Acsa, ele prontamente o atende, dando fontes superiores e inferiores. Acsa identificou sua necessidade, foi até o seu pai pedir por uma solução e recebeu o que pediu. Porém, se não tivesse pedido, é provável que teria passado a vida olhando para um montante de terra sem serventia. De alguma maneira, esse texto nos lembra que um pai bondoso não se agrada do sofrimento de seus filhos e que deseja dar coisas boas. Precisamos recordar que temos um pai que nos ama e que se agrada em zelar pela nossa vida.


A história de Acsa não é muito conhecida ou mencionada, ela é curta e com poucos detalhes, mas quando estudada nos mostra um exemplo de mulher no que se refere a administração, sabedoria e confiança.






Referências base:

BÍBLIA DE ESTUDO DA FÉ REFORMADA. Tradução de João Ferreira de Almeida – Edição Revista e Atualizada. São Paulo: Editora Fiel, 2021.

WALTON, John. Comentário histórico e cultural da Bíblia: Antigo Testamento. São Paulo: Vida Nova, 2018.


תגובות


bottom of page