top of page

A esposa de Potifar – Adultério e tentação

O problema do adultério, tentação e manipulação

"Ela o agarrou pelo manto e voltou a convidá-lo: ‘Vamos, deite-se comigo!’ Mas ele fugiu da casa, deixando o manto na mão dela.” Gênesis 39.12


A história da esposa de Potifar aparece no capítulo 39 de Gênesis, e está diretamente ligada com a história de José, do Egito, que nesse momento está trabalhando como escravo na casa de Potifar, oficial do faraó e capitão da guarda. A Palavra conta que o Senhor estava com José, de maneira que ele prosperou, tendo sido confiado a ele o cuidado da casa de Potifar e de tudo que ele possuía.


Gênesis 39.6 diz que José era atraente e de boa aparência, e que depois de um certo tempo, a esposa de Potifar passou a cobiçá-lo, convidando-o a deitar-se com ela. José recusa enfaticamente, reconhecendo que deitar-se com ela, além de ser errado diante de Potifar, era um pecado contra Deus. Certo dia, quando não havia mais ninguém na casa, a mulher o agarrou pelo manto e voltou a convidá-lo para se deitar com ela, mas José fugiu, deixando o manto em suas mãos.


Quando a esposa de Potifar vê que, ao fugir, José deixa o manto em suas mãos, ela se aproveita disso para dizer que José havia entrado onde ela estava e tentado abusar dela, acusando-o diante de seu marido e manipulando Potifar para que ele punisse José. Diante disso, Potifar ficou indignado e lançou José na prisão, onde a Bíblia fala que o Senhor estava com ele e em tudo ele tinha bom êxito.


Os ensinamentos da esposa de Potifar

O problema de ter tudo o que queremos, quando queremos e da maneira que queremos

Certamente a esposa de Potifar estava acostumada a ter tudo o que queria, e não soube lidar com a recusa de José. Ela era a mulher de um oficial egípcio, o que significa que ela tinha uma vida confortável. No entanto, ela era egoísta e não tratava os outros com dignidade, via José apenas como um objeto para satisfazer os seus desejos e não como uma pessoa. A esposa de Potifar vivia de maneira a buscar apenas o seu próprio prazer, independentemente de como isso afetaria os outros. É necessário pensar se em nossas vidas não estamos, de certa forma, vivendo como a esposa de Potifar, deixando que o nosso desejo por prazer e satisfação governe como vivemos a nossa vida.


O problema da tentação

O que devemos fazer diante da atração pecaminosa? Nos afastar. Ninguém está livre de se sentir atraído por alguém, nem mesmo pessoas casadas, a questão é o que fazer diante disso. As tentações da vida, principalmente as tentações na área sexual são perigosíssimas e o adultério é um pecado contra Deus que deturpa a maneira para qual o sexo foi criado, o transformando em algo que busca apenas o prazer egoísta. Esteja atenta para as tentações na sua vida e afaste-se delas.


O problema da manipulação

A esposa de Potifar vivia como o centro de seu próprio mundo, e a sua preocupação era ter o que desejava sem se importar com as outras pessoas. Isso nos leva a pensar sobre o problema de agir de forma a manipular outras pessoas a fim de conquistar objetivos. Se nós confiamos que o Senhor tem o controle sobre tudo, governa nossas vidas e nossos lares, não existe motivos para viver manipulando as pessoas em vista a conseguir o que desejamos. Na comunhão entre pessoas tementes ao Senhor, com um coração humilde, é possível que todos compartilhem as suas vontades e desejos e encontrem um ponto em comum.


A história da esposa de Potifar nos ensina principalmente como nós não devemos agir. Precisamos voltar o nosso coração ao Senhor, deixando de viver de maneira egoísta e manipuladora, não deixando que as nossas decisões sejam tomadas de acordo com aquilo que mais nos agrada ou nos dá prazer, mas de acordo com a vontade de Deus, nos submetendo em obediência.






Referências base:

BÍBLIA DE ESTUDO DA FÉ REFORMADA. Tradução de João Ferreira de Almeida – Edição Revista e Atualizada. São Paulo: Editora Fiel, 2021.

WALTON, John. Comentário histórico e cultural da Bíblia: Antigo Testamento. São Paulo: Vida Nova, 2018.

Opmerkingen


bottom of page